CapaNotícias

Deputado Luiz Paulo cobra cronograma para entrega de barcas durante audiência pública

Durante audiência pública da Comissão de Transportes, na manhã desta quarta-feira (28), o deputado Luiz Paulo (PSDB) cobrou da Secretaria de Transportes, da Agetransp e da CCR Barcas um cronograma para a entrega das nove novas embarcações para realizar a travessia Rio-Niterói. “Há tempos que ouvimos que as barcas são ruins e a concessionária vive adiando essa entrega”, afirma o parlamentar.

barcas

O anúncio da aquisição das nove barcas, sete fabricadas na China e duas no Ceará, foi feito pelo Governo do Estado em março de 2013, com a promessa de que entregasse uma antes da Copa e as outras no prazo máximo de 24 meses. Mas, de acordo com o deputado, o cronograma nunca foi oficializado. “A gente só sabe das datas pelos jornais e já houve atrasos no cronograma. Primeiro era para março, depois foi para setembro e agora na reunião os representantes asseguraram que chegará em novembro”, explicou.

Após a chegada da primeira barca, outras duas embarcações deverão ser entregues em março e as seis restantes até o meio do ano de 2015. As sete embarcações chinesas terão capacidade de 2 mil lugares e as duas cearenses poderão receber 500 pessoas para o traslado.

Na reunião, foi decidido que o representante da Secretaria de Transportes deverá enviar o ofício com o cronograma da aquisição e da alocação de funcionamento das barcas à Comissão de Transportes. Também deverá ser oficializado o registro da quantidade de passageiros nos últimos 12 meses por cada linha, devido às mudanças de trânsito no Centro do Rio, como a demolição do Elevado da Perimetral.

Barcas de madrugada barcas2

Durante a audiência, foi pedido que a CCR Barcas retorne a disponibilizar embarcações para fazer o trajeto entre a capital Rio de Janeiro e Niterói, no período entre meia-noite e 5h. O serviço foi interrompido em 2011, pela então concessionária Barcas S.A. O argumento é de que o fluxo de passageiros é muito reduzido, mas o deputado Luiz Paulo contou a própria experiência vivida em uma sexta-feira à noite.

“Saí correndo de um compromisso para pegar a barca das onze e meia da noite e contei que havia dez pessoas dentro de uma embarcação de dois mil lugares. É possível que se coloque uma embarcação menor e que saia de hora em hora para que quem precisa possa utilizar o serviço”, conclui o deputado.