CapaNotícias

Vazamento da Cedae vira área de lazer no bairro do Riachuelo

Se não tem água em casa, o jeito é tomar banho no buraco da rua. Apesar de ter deixado as torneiras e chuveiros secos, o vazamento na Rua Ana Neri não impediu o povo de se refrescar no fim de semana. Em frente ao número 2.434, ele foi logo apelidado de “piscinão” pelos moradores. Um espaço de lazer, no mínimo, inusitado no bairro do Riachuelo, na Zona Norte.

Foto: Nina Lima / Extra

— Não tem água na casa de ninguém. Mas na rua tem à vontade — contou a auxiliar de serviços gerais Dandara Santos Braga, de 18 anos.

No sábado, ela foi ao “piscinão” da Ana Neri. E levou a filha e o irmão, de 1 e 3 anos. A cunhada Tatiana acompanhou o grupo, com uma cadeira de ferro trazida de casa, que também está sem água.

Depois de se acomodarem no asfalto em volta do buraco, ainda pela manhã, foram aos poucos sendo seguidas por moradores que não resistiram ao calorão. O vidraceiro André Cardoso, de 39 anos, foi um deles.

— Aqui a gente só toma banho em buraco — contou ele, um tanto indignado, mas sem deixar de aproveitar aquela “aguinha salvadora”.

E não é só para se refrescar que os moradores da Ana Neri estão recorrendo ao “piscinão”, mas também para lavar roupas, molhar plantas e até para tomar banho depois de um dia inteiro de trabalho.

— No fim do dia, alguns moradores enchem baldes e levam para casa. Sem água no chuveiro, as pessoas se viram como pode. Chega a dar um desespero — contou a estudante Isabelli Sinforoso, de 26 anos.

Além de refrescante, o banho no asfalto foi uma forma de chamar a atenção para o problema.

— Todo dia vou vir aqui. Só saio quando a Cedae acabar com o vazamento e a água voltar para nossas casas — disse Tatiana, cuja gravidez de oito meses não a impediu de se refrescar no meio da rua.

Segundo os moradores, o vazamento de água na Rua Ana Neri afetou cerca de 30 imóveis próximos e já dura um mês. A pequena Yngrid Nascimento, de 10 anos, disse que “todo verão é assim”. No sábado, ela levou baldes de água do vazamento para a mãe lavar seu trailer:

— Não resisti, e acabei entrando na água — disse Yngrid, sorrindo.

No fim de semana, os termômetros marcaram mais de 40 graus. A Cedae informou que irá nesta segunda-feira de manhã ao local, para fazer os reparos necessários.

Fonte: Jornal Extra (13/01/14)