CapaNotícias

Deputado Luiz Paulo critica atual mobilidade urbana do Rio em palestra

Na manhã deste sábado, em Niterói, o deputado Luiz Paulo (PSDB) criticou o atual modelo de transporte e mobilidade urbana em palestra no Seminário Turismar – Políticas Públicas e Empreendedorismo ao Turismo. “A mobilidade urbana influencia diretamente todos os aspectos de nossas vidas, como para ir ao trabalho, à escola e ao médico. Então isso também interfere no desenvolvimento do turismo no Rio de Janeiro, pois ninguém quer passar seu tempo de lazer nos congestionamentos”, exemplificou o deputado aos profissionais da área de turismo.

IMG_5640

Em 2013, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUR) da UFRJ divulgou pesquisa classificando a mobilidade na região metropolitana do Rio com o último lugar entre 15 regiões metropolitanas brasileiras. Para Luiz Paulo, a histórica ausência de planejamento urbano em transportes e a política do Governo Federal de incentivo ao aumento da frota de veículos são as principais respostas para o engarrafamento das ruas ser cotidiano.” O Rio é um local com diversas atrações, mas precisa investir em transporte de grandes massas, como os trens, metrôs, barcas e ônibus, para solucionar os longos congestionamentos”, afirmou.

Para o pós-doutorando em Turismo, William Mello, a questão da mobilidade urbana será um grande tema para as eleições de outubro, pois diariamente é discutido as falhas do sistema. “Ele abordou muito bem que estamos muito atrasados no sistema viário e exemplificou as dificuldades que um turista encontra ao chegar no Rio, para se deslocar até o Centro e depois ir aos principais pontos turísticos”,

A região Metropolitana do Rio conta com uma população de 12 milhões de habitantes em 19 municípios e ocupa a área de 5,92 mil km². De acordo com pesquisa do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS), a concentração econômica fica situada no município do Rio e 65% dos moradores da região Metropolitana que se deslocam, diariamente, para trabalhar, têm como destino a capital.

Integração intermodal

Os estudos do Plano Diretor de Transportes Urbano (PDTU) indicam que somente com a integração intermodal será melhorado o retorno econômico, social e ambiental. “È preciso transformar alguns ramais ferroviários de passageiros em metro de superfície e concluir a compra de novas composições e o próprio metrô fazer diversos trechos, como implantar o trecho Niterói-Itaboraí, a futura estação da Gávea ao Jardim Botânico, Humaitá, Laranjeiras e Carioca”, exemplifica.

Para as barcas, o deputado recomenda completar a compra de novas embarcações e reformar as estações de Niterói e da Praça XV. “O sistema de ônibus deve ser reorganizado, minimizando a entrada de ônibus intermunicipais no Centro do Rio com a construção de estações rodoviárias e integração com os BRTs”, analisa Luiz Paulo.

Incentivo aos veículos

Desde 2001, o número de veículos cresceu 138% no Brasil e 73% na região Metropolitana do Rio. De acordo com dados do Detran, de 2012, a frota de veículos no Estado é de 6,1 milhões e de 3 milhões na região Metropolitana.”Há um grande estímulo para a produção de automóveis, com IPI reduzindo variando de 2% a 18% para os automóveis e o incentivo a instalação de três fábricas de veículos no Estado foi de 11,5 bilhões”, informa o parlamentar.