Metrô: é preciso concluir o trecho Estácio/Carioca

O jornal O Globo de 18/11 publicou uma matéria informando que o Governador Pezão irá licitar um trajeto metroviário batizado pelos técnicos do Estado de Linha 5, que nada mais é do que a Linha 4 rebatizada de Linha 5, porque eles pegaram o linhão da Linha 1 e batizaram de 4. Mas qual seria essa Linha 5?metro

Ela sairia da Gávea; da Gávea iria ao Jóquei; do Jóquei, ao Jardim Botânico; do Jardim Botânico, ao Humaitá; do Humaitá, ao Largo dos Leões; do Largo dos Leões, à base do Morro Dona Marta; de lá atravessaria o maciço da Tijuca; sairia em Laranjeiras, dando acesso a Santa Teresa e, daí, ao Largo da Carioca. Essa obra começaria em 2016.

Fiquei surpreso, porque não havia nesse caminho o trecho mais importante que existe de se concluir o Metrô, que é o trecho Estácio/Carioca, da Linha 2. Para ser mais preciso, é um trecho de três quilômetros da Linha 2, que vai ligar Estácio, Praça da Cruz Vermelha e Largo da Carioca. E por que esse é o trecho mais importante? Porque a Linha 2, hoje, que vem da Pavuna, quando chega em São Cristóvão, se superpõe à Linha 1. Então, essa superposição de Linha 1 e Linha 2, que vem até a Central e faz um Y, impede que se diminuam os intervalos de trem na Linha 1 – trecho que vem da rua Uruguai, Saens Pena, Carioca etc. – e na Linha 2.

O traçado da Linha 2 não é para coincidir com o da Linha 1, em São Cristóvão. É para ir até a Estação Estácio; do Estácio à Praça da Cruz Vermelha e, dali ao Largo da Carioca, que já tem dois níveis, sendo que um dos níveis é para receber a Linha 2.

Se isso for feito, dinamiza a Linha 1 e dinamiza a Linha 2. Mas os doutos do Estado, com as eminências intelectuais que existem na Secretaria de Transportes, não conseguem enxergar isso.

Ora, se se dissesse assim: “Vou fazer a Linha 5.” Faça! Mas conclua o trecho Estácio/Carioca, senão vai dar um nó no sistema sem solução.

O Governador não é um técnico em transportes, mas tem um conjunto de assessores que, a esta altura do campeonato, possivelmente não são assessores, são obsessores do Governador. Para propor esse trajeto sem fazer Estácio/Carioca, só podem ser obsessores. Apostam na tragédia, apostam no azar, apostam em tudo aquilo que não é bom. E esse é o conceito dos espíritos obsessores. Há até sessões, em igrejas cristãs, de desobsessão. Mas, no poder público, há uma sessão de desobsessão que é com a caneta: exonera!

Não é possível se montar uma matéria daquela, no jornal O Globo, estar gastando dinheiro, e dizer assim: “Vou construir a Linha 5, mas do Largo da Carioca irá à Cruz Vermelha e ao Estácio, para que a Linhas 1 e 2 fiquem independentes uma da outra.” Porque, se não se faz assim, ao invés disso ser um investimento para melhorar, vai saturar ainda mais o sistema.

Qualquer técnico metroviário sabe disso. Eu costumo dizer que isso é a “vovó viu a uva”. Quando fui alfabetizado, ensinava-se assim, “vovó viu a uva”. Mas os profissionais que atuam na Secretaria de Transportes não aprenderam na cartilha que “vovó viu a uva”, que o fundamental é fazer o trecho da Linha 2 Estácio/Cruz Vermelha/Carioca para o sistema de Metrô consiga funcionar como Metrô.

O dia em que eu tiver oportunidade de estar com o Governador do Estado, direi isso a ele. Ao invés dele estar sendo ajudado, querem levá-lo ao cadafalso.

Deputado Luiz Paulo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *