Luiz Paulo questiona carência de ambulâncias em Niterói

O deputado Luiz Paulo usou a tribuna para comentar a carência de ambulâncias que persiste no município de Niterói. Salienta ele que, quando o prefeito assumiu seu mandato, prorrogou alguns contratos emergenciais para contratação de ambulâncias. E passado um ano, as prorrogações continuam.

O vereador pelo PSDB em Niterói, Bruno Lessa, verificou a questão ficou surpreso com o valor desses contratos e o porquê de não se proceder a uma licitação em que o preço justo fosse praticado e a continuidade dos serviços fosse garantida.

“O Governo de Niterói, que é do PMDB 2 – desculpem, do PT –, poderia solicitar ao Executivo estadual, do qual o Governo petista participa tão diretamente, 10, 12 ambulâncias, porque o que mais o Governo tem feito é entregar ambulâncias aos diversos municípios, atendendo inclusive a reivindicações de diversos parlamentares. Uma, que foi entregue ao município de Itaguaí, foi colocada na minha conta de emendas individuais.

Então, verifico que não há por que o Prefeito Rodrigo, estar nesse emaranhado de dispensas de licitações com preços exorbitantes, como constatou, na Câmara de Vereadores, o Deputado Bruno Lessa, se ele tem a possibilidade de solicitar essas ambulâncias zero quilômetro ao Governo do Estado, que dará com a máxima satisfação.

Então, estou trazendo essa questão ao Plenário para que o prefeito de Niterói possa resolver essa questão e respeitar o Parlamento niteroiense, que está discordando dos procedimentos que a Prefeitura está adotando na área da Saúde, para não destoar do restante da área da Saúde do Estado, que é bastante precária. Fica no mesmo diapasão, o diapasão da precariedade.

Então quero trazer este tema, porque, se os municípios não funcionam a contento na área da Saúde, o conjunto da Saúde também vai funcionar muito mal. Por isso, Sr. Presidente, daí deriva que as duas áreas centrais de um governo são sempre, no meu entendimento, Educação e Saúde.

Educação, nós estamos vendo o que está acontecendo. Quer seja no Município da Capital, quer seja no Governo do Estado. Um Dia do Mestre que eles, responsáveis pela educação de todos nós, não têm absolutamente nada a comemorar.

Quanto à Saúde, o povo foi às ruas e exigiu Saúde padrão Fifa. E a Saúde que o povo tem é a pior possível.”