Bondinho do Pão de Açúcar: 100 anos de histórias

O bondinho do Pão de Açúcar está comemorando 100 anos de existência e por conta de todas as suas histórias e peculiaridades, merece ser lembrado e celebrado. Em 2011 fiz um projeto de lei que determinava que 2012 se tornasse o ano do centenário do Bondinho no Estado do Rio de Janeiro. O projeto foi sancionado e se tornou a lei 6092/2011. Celebrar este centenário é valorizar o patrimônio natural, tanto pela beleza, que atrai milhares de turistas todos os anos, como pela história.

Uma história que começa com um engenheiro sendo chamado de louco, ao querer “domar” os morros da Urca e do Pão de Açúcar.

Augusto Ramos pretendeu unir não apenas esses dois morros, mas também o da Babilônia, projeto esse que, de acordo com os jornais, está sendo revisto para possivelmente se tornar realidade. Conseguiu dessa forma patrocínio e autorização para a construção e operação dos teleféricos. Mas o Exército à época acreditou que o morro da Babilônia tomado pelo bondinho poderia ser um risco para as fortalezas na entrada da Baía de Guanabara e não permitiu a expansão.

O bondinho do Pão de Açúcar já foi cenário de cinema. Como não lembrar do filme “007 Contra o Foguete da Morte”, de 1979, em que o agente secreto mais famoso do mundo, o britânico James Bond (aqui interpretado pelo ator Roger Moore) derrota seu famoso inimigo Dentes de Aço (Jaws), interpretado por Richard Kiel no bondinho?

O bondinho é um marco turístico na historia do Rio de Janeiro, pois sua inauguração em 1912 proporcionou a projeção do nome da nossa cidade e do Brasil no mundo. O “camarote carril” como era chamado foi o primeiro teleférico instalado em perímetro urbano no mundo. Desde então todos querem apreciar essa obra da engenharia brasileira.

Uma das vistas mais impressionantes da cidade merece ser comemorada.

Parabéns Bondinho, pelos seus 100 anos.