Luiz Paulo comenta projeto, falta de quórum e manifestações no Plenário

Foi discutido no Plenário, o projeto de Lei 1669/2012, que reajusta o Plano de Cargos e Salários dos servidores do DETRAN, em duas parcelas de 10%. Para o deputado Luiz Paulo, o DETRAN é fonte importante de arrecadação do Estado e merecia reajustes salariais dos seus funcionários, mas o reajuste está aquém do desejo e do trabalho efetuado pelos servidores.

Durante a sessão plenária, diversas manifestações contra a derrubada do prédio do IASERJ, que Luiz Paulo considera um “processo de violência irregular e ilegal que não tem o apoio dos funcionários públicos, do povo e de parcela significativa do Parlamento”, ao qual ele se inclui. Para ele, isso vem a ser a demolição do serviço Público.

 

 

Salientou ainda que de um lado o governo deseja aumentar o salário dos servidores do DETRAN, mas por outro quer retirar os triênios dos servidores públicos estaduais, que já estão incorporados ao histórico de lutas do servidor. “Estamos vigilantes contra esses descaminhos”.

Luiz Paulo questionou ainda a demora em vir para a pauta o projeto que regulamenta a dedicação exclusiva dos professores da UERJ e a queda do quórum logo na primeira sessão após o recesso e tentou alertar os deputados que é necessário fazer um esforço, principalmente aqueles que disputarão as eleições municipais, pois serão muitos projetos importantes que devem ser votados nos próximos dois meses, como a dedicação exclusiva, as contas do Governo Estadual em 2011, a lei orçamentária anual e um projeto que autoriza o Poder Executivo a vender 27 imóveis, dentre eles o QG da Polícia Militar, na Rua Evaristo da Veiga, o que o deputado repudia e considera um crime contra o Patrimônio do Rio de Janeiro e contra a história da própria Policia.

“Preservar o interesse popular tem que estar acima de qualquer pleito municipal”, finalizou Luiz Paulo.