Comissão volta à Região serrana: morosidade na construção de casas

A Comissão de Representação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) para acompanhar as ações de recuperação da Região Serrana teve sua primeira reunião nesta quinta-feira (12.) à tarde definindo cronograma de audiências e visitas aos municípios atingidos pelas chuvas de janeiro de 2011. A comissão, um desdobramento da CPI das Chuvas, já encerrada, foi motivada pela morosidade nas ações governamentais principalmente em habitação.

O deputado Marcus Vinícius (PTB), que foi escolhido para ser o relator da comissão presidida pelo deputado Luiz Paulo (PSDB), explicou que a primeira vistoria será no município de Teresópolis devido às chuvas do último final de semana, que resultaram em seis mortes. Todas as cidades atingidas além de Teresópolis (Nova Friburgo, Petrópolis, Areal, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Bom Jardim e Paraíba do Sul) voltarão a ser visitadas.

“A comissão vai verificar os investimentos e as ações já implementadas, especificamente a questão habitacional, junto com os responsáveis por cada área do Governo estadual”, afirmou Marcus Vinícius, lembrando que passados um ano e três meses da tragédia, a população ainda tem sofrido com as consequências. “Além das sete mil casas para atender a população atingida diretamente em 2011, são necessárias outras 40 mil moradias para retirar as pessoas que vivem em áreas de risco em toda a Região Serrana”, completa.

O presidente da comissão, deputado Luiz Paulo, disse que além da habitações, o grupo vai verificar a contenção de encostas e o mapeamento das áreas de riscos dos municípios. Para o deputado Bernardo Rossi (PMDB), que também faz parte da comissão, o processo tem sido muito lento e é preciso mais agilidade. “Cada cidade tem sua necessidade em particular. Em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, a questão habitacional é mais latente, mas em outros municípios, como São José do Vale do Rio Preto, a produção rural continua sendo prejudicada por falta de pontes e estradas que são primordiais para a escoação dos artigos. Em outras, os alagamentos são o fator mais preocupante”, afirma

Também fazem parte da Comissão de Representação os deputados Sabino (PSC), Nilton Salomão (PT), Rogério Cabral (PSB), Clarissa Garotinho (PR) e Janira Rocha (Psol).

 

Fonte: Diário de Petrópolis