Estado no vermelho

Com base em números oficiais, o deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) concluiu que o governo do Estado embolsou, em 2011, menos R$ 2,22 bilhões que o previsto — tinha a expectativa de receber R$ 58,414 bilhões e ficou com R$ 56,185 bilhões.

Brasília colaborou para o problema ao não repassar R$ 837 milhões de obras do PAC; a arrecadação de tributos ficou R$ 670 milhões aquém do planejado. O buraco só não foi maior porque algumas receitas, como royalties e rendimentos com operações financeiras, superaram as previsões.

 

Fonte: Informe do Dia – O Dia