Tragédia anunciada

O bonde de Santa Teresa é um importante destino para turistas na cidade do Rio de Janeiro. Desde sua fundação no ano de 1872, os bondinhos servem de meio de transporte diário para moradores de Santa Teresa, bem como uma opção turística de destaque.

No sábado passado, o Rio de Janeiro recebeu chocado a notícia de um acidente com o bonde. Cinco pessoas morreram, e houve 57 feridos. A tragédia anunciada causou a indignação dos moradores do bairro de Santa Teresa, que há tempos reclamam e cobram das autoridades maiores investimentos na manutenção do sistema de bondes.

O deputado Luiz Paulo criticou a falta de gerência e cuidado com um sistema tão importante para a população e para o turismo do Rio de Janeiro.

“Quando faltam recursos de manutenção e operação, ocorre o que chamamos de sucateamento. Isto é, peças de um são transportadas para outros. Fotos de jornais mostram um gatilho no bonde que é um arame substituindo um parafuso, como se isso fosse solução para regular um sistema de transportes sobre trilhos.

Assim posto, vou proceder a um requerimento de informações ao Governo do Estado para que ele detalhe dos gastos inscritos no sistema de informações gerenciais de fato em quê foi aplicado, se no bonde de Santa Teresa e em que objeto específico foi aplicado. A transparência, dar à opinião pública a resposta devida, é objeto fundamental, visto que pessoas morreram e outras ficaram gravemente feridas.

O sistema de bondes de Santa Teresa pertence, praticamente, ao patrimônio histórico da Cidade do Rio de Janeiro, porque, além de servir para transportar os moradores daquela região, é ele um alicerce para o turismo e também para as artes e o processo de cultura de Santa Tereza. A falência do sistema de bonde simboliza, em Santa Tereza, a própria falência do Poder Público, que não foi capaz de dar uma atenção correta, de manter em operação aquele valioso patrimônio local.

Muitos daqui já viajaram ao exterior e ficam sempre elogiando os bondes de São Francisco, na Califórnia, lá nos Estados Unidos, como se tivesse grande diferença do nosso de Santa Tereza. A diferença fundamental são os recursos para operação, manutenção, conservação e regras para se limitar o número de passageiros que ele pode transportar. Será que isso é muito difícil para um País da envergadura do Brasil, que se propõe e sempre quer se ufanar de realizar grandes eventos, olimpíadas, Copa do Mundo, UFC e outros eventos, mas não é capaz de cuidar do cotidiano do cidadão, do transporte local importante para a população de Santa Tereza, importante para o turismo, importante para a cultura?

Tudo isso nos deixa em perplexidade e numa tristeza muito grande, porque houve vítimas e o fato em si mostra um grande despreparo do Poder Executivo Estadual. É uma lástima, é uma tristeza que se associa a tantas outras que vêm ocorrendo no nosso Estado nos últimos 90 dias. É digno de se registrar se estamos de fato num ciclo virtuoso, ou num ciclo vicioso, Sr. Deputado, porque, por mais que o nosso ânimo queira, os fatos demonstram que ainda se está muito a desejar.

Esse acidente do bondinho de Santa Tereza é triste e emblemático, porque mostra a incapacidade gerencial da Secretaria de Estado e de Transporte, fato, aliás, corriqueiro, só não vê quem não quer, e do próprio Poder Executivo Estadual”.